segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Levada das 25 Fontes

Percurso: Pedestre (PR 6 Levada das 25 Fontes)
Localização: Rabaçal, Porto Moniz, Madeira
Distância aproximada: 9,2 km
Duração aproximada: 3h
Grau de dificuldade: Médio

A Levada das 25 Fontes tem início e término na Estrada Regional 110, a 1290 m de altitude. Daqui desce-se até à Casa do Rabaçal, para seguir em direcção à lagoa das 25 fontes ou à Levada do Risco (desta falaremos muito em breve).
A título de curiosidade, refiro que a Levada das 25 Fontes começou a ser construída em 1835 e só em Setembro de 1885 é que começou a correr água pela primeira vez.

Ao optar pelo percurso da Levada das 25 Fontes deparámo-nos com trilhos por vezes estreitos, sinuosos, com escadas que parecem não ter fim (e a descer todos os santos ajudam, agora imaginem como foi no regresso), mas tendo sempre como pano de fundo uma paisagem deslumbrante e a companhia da água fresca a seguir o seu curso.

Nesta mancha de floresta laurissilva da Madeira predomina a Urze molar (Erica Platycodon subsp. maderincola), a Uveira da serra (Vaccinium Padifolium), o Mocano da Serra (Pittosporum cariaceum) e também o lindo Gerânio-da-Madeira (Geranium maderense).
Ao longo deste percurso voltámos a cruzar com os lindos Bisbis (Regulus ignicapillus madeirensis) e Tentilhões (Fringila coelebs). Nesta zona também habita e nidifica o Pombo Trocaz (Columba trocaz trocaz), mas não avistámos nenhum.

O trilho termina na lagoa das 25 Fontes, que é formada pelas águas que descem do Paul da Serra e que aparecem «misteriosamente por detrás da parede que a forma, onde poderá contar mais de 25 fontes. Reza a lenda que quem aqui mergulhasse não mais apareceria à superfície, tendo tal acontecido a um inglês que quis quebrar a superstição e jamais foi encontrado.»
Quanto a mim, a fotografia não consegue captar a magia do lugar e da lagoa, que deixa qualquer turista deslumbrado, quando ao virar da esquina se depara com tamanha beleza!

7 comentários:

Jojo disse...

Como eu te compreendo... a descer todos os santos ajudam... a subir já é outra história!
Mas vale a pena!Linda!

Ah eu já mergulhei e não desapareci!:P

tonsdeazul disse...

É que nem me digas nada, Jojo! Ia toda embalada a pensar que eram só mais alguns e até ultrapassei uns turistas ingleses e sorri toda contente para eles, que iam ali bem devagar a empatar o trânsito e depois dou por mim a ver mais degraus sem meio de chegar a um fim! Fiquei com os bofes de fora, confesso! :p Sim vale a pena. Voltaria a fazê-la. :)
Ehehe Lá se foi a lenda por água abaixo! Esta coisa das lendas tem sempre a sua piada, mas agora já posso afirmar que esta não é bem assim! ;)

Jojo disse...

Bem a lenda acho que tem um fundo de verdade! Quando a água é muita faz remoinho! O que é um perigo! Eu quando mergulhei estava acompanhada e as fontes não estavam no seu máximo!

Teté disse...

Gostei das fotos, mas suponho que nem elas, nem a paisagem deslumbrante com a fauna e flora típica da região me fariam andar 3 horas por montes e vales. Sou um preguiçosa, é o que é! :)))

Mas claro, cada um com os seus gostos!

Beijocas!

tonsdeazul disse...

Essa parte desconhecia, pois não me pareceu que fossem águas perigosas, Jojo!
Agora sou da opinião que em lugares assim não devemos mergulhar sem minimamente conhecer, ou pelo menos não mergulhar sozinhos!

Eu bem tento convencer-te com as minhas fotos e com as minhas palavras, mas estou a ver que não chego lá, Teté! :p
Beijinhos

Miguel Pestana disse...

Lindo!

Ainda bem que apanháste um dia solarento, pois ás vezes o tempo é inconstante aqui e preganos partidas!

tonsdeazul disse...

Sim nesta não apanhei chuva. Antes de começar estava nevoeiro, mas depois abriu o sol e pronto foi um passeio espetacular! :p
Agora numa próxima tenho de explorar outros trilhos que não tive oportunidade de fazer. ;)
Bom fim de semana!

Pinturas populares (últimos 30 dias)