terça-feira, 15 de Abril de 2014

"Contos do Nascer da Terra"

Contos do Nascer da Terra. Ao lermos um título assim só nos vem um nome à cabeça: Mia Couto. Há livros que podem ser lidos e relidos vezes sem conta que nunca perdem a sua essência. Este é um deles. Pois em cada palavra de Mia Couto encontramos sempre beleza e poesia. Em cada estória descobrimos pormenores que na primeira leitura tinham passado despercebidos. E depois há sempre aquelas palavras inventadas que nos soam sempre tão bem ao ouvido, que nos perguntamos se poderia haver outro criador para elas, que não fosse o Mia Couto.

Nesta obra, Mia Couto conta-nos 35 estórias cheias de cheiro, de encantamento e de nostalgia. A sua escrita tão característica enche-nos a alma de beleza e seduz-nos a cada palavra. Por isso, há que saborear lentamente estes contos do nascer da terra, sem pressas. E depois de lidos fica a vontade de voltar ao início va-ga-ro-sa-men-te.

«Na vida tudo chega de súbito. O resto, o que desperta tranquilo, é aquilo que, sem darmos conta, já tinha acontecido. Uns deixam a acontecência emergir, sem medo. Esses são os vivos. Os outros se vão adiando. Sorte a destes últimos se vão a tempo de ressuscitar antes de morrerem.»
"A filha da solidão"

sexta-feira, 11 de Abril de 2014

"não haverá milagres aqui"

Scottish National Gallery of Modern Art em Edimburgo, Escócia

Não haverá encantamento, nem cegueira
nem loucura, nem obsessão.
Não haverá inquietação, nem ansiedade
nem turbulência, nem descontrolo.
Não haverá promessas, nem cobranças, 
nem desconfiança, nem ciúme.
Não haverá tristeza, nem lágrimas
nem dor, nem ilusão.
Não haverá milagres.
...

quinta-feira, 3 de Abril de 2014

Trilho da Praia do Barril

Percurso: Pedestre 
Localização: Pedras d'el Rei, Santa Luzia, concelho de Tavira
Distância aproximada: 3-4 km (ida e volta) 
Duração aproximada: 1h00 
Grau de dificuldade: Baixo 


O trilho da praia do Barril é um percurso integrado no Parque Natural da Ria Formosa, que tem início e término na Ponte de acesso à praia do Barril, em Pedras d'el Rei. 

Ao passarmos a ponte podemos fazer o trilho de comboio, mas não foi a nossa opção. O percurso pode então ser feito por terra batida ou por um passadiço de madeira, que nos acompanha até à praia. 

Enquanto caminhamos do lado da ria, podemos observar a extensa zona húmida de sapal, que nos leva até às dunas. Por esta zona podemos encontrar algumas aves como as garças e as gaivotas, os borrelhos, os alfaiates e os pernilongos. Mas, ao longo do percurso existem diversos pontos de informação que nos elucidam mais sobre a fauna e a flora envolvente. 

No final do percurso temos uma zona de apoio de praia e ao chegarmos à praia, encontramos do lado direito o tão famoso cemitério de âncoras.

Atualmente o espaço comercial da Praia do Barril, bem como a antiga armação de atum, a vizinha vila piscatória de Santa Luzia e a Estação Agrária de Tavira estão a ser impulsionados, desde o ano passado, pelo Projeto Barril. Este projeto, dinamizado por 12 jovens, tem como objetivo esbater a sazonalidade e criar um modelo que assente não só no sol e praia, como também numa forte aposta no "turismo sénior e acessível" e na "dieta mediterrânica".

Para terminar, refiro apenas que o trilho da praia do Barril é um daqueles passeios que sabe sempre bem em qualquer estação do ano!


domingo, 30 de Março de 2014

8| livrarias no mundo

Vuković & Runjić em Zagreb, Croácia

Os dias de chuva são ótimos para ficar em casa a relaxar, mas por vezes ficamos também mais nostálgicos... Ora vasculhando as minhas fotos descobri que ainda não tinha falado de uma pequena e aconchegante livraria de Zagreb! A Vuković & Runjić.

Descobri-a enquanto devorava uma fatia de pizza do outro lado da estrada. Como os bancos da pizzaria ficavam virados para a rua, pude apreciá-la calmamente. Nesse dia não cheguei a entrar. Já estava fechada. Só dias mais tarde, quando voltei a entrar em Zagreb e a calcorrear as ruas da cidade, é que voltei à rua Teslina, 16. 

Nesta pequena livraria, fui encontrar um dos meus livros preferidos: Maus de Art Spiegelman. Foi uma pena estar em croata, senão tinha-o trazido para casa. Percorrendo as imensas capas e lombadas, também lá fui encontrar muitos autores que aprecio, como Dostoiévski, Italo Calvino, Orhan Pamuk e Murakami. Mas do que gostei mais de encontrar foi um livro de um autor português. Tri Života de João Tordo. Ou como quem diz As Três Vidas. É sempre um momento radioso!

sexta-feira, 21 de Março de 2014

"Chamo-Te"

Poppies, Mariana Kalacheva, Bulgária

«Chamo-Te porque tudo está ainda no princípio 
E suportar é o tempo mais comprido. 

Peço-Te que venhas e me dês a liberdade, 
Que um só de Teus olhares me purifique e acabe. 

Há muitas coisas que não quero ver. 

Peço-Te que sejas o presente. 
Peço-Te que inundes tudo. 
E que o Teu reino antes do tempo venha 
E se derrame sobre a Terra 
Em Primavera feroz precipitado.»
Chamo-te, Sophia de Mello Breyner Andresen
(Dia Mundial da Poesia) 

domingo, 9 de Março de 2014

"Faz o que quiseres"

«Mas tu esqueceste tudo excepto o teu nome. E, se não fores capaz de responder, não podes beber. Por isso, só um sonho esquecido que reencontrares aqui te pode ajudar, uma imagem que te conduza até à fonte. Mas para isso terás de esquecer a última coisa que ainda te resta: tu próprio.» 

A História Interminável, de Michael Ende. Esta é uma daquelas histórias de fantasia intensa. Só quando comecei a descobri-la é que me veio à memória partes de um filme de infância que foi baseado nesta história, A História sem Fim. E só já no final do livro me veio à memória a música “Never Ending Story”, de Limahl. Por acaso, algum de vocês viu o filme ou lembra-se da música?

Bastian Baltasar Bux é o herói desta história com histórias dentro. Bastian é um miúdo infeliz, tímido e gorducho que se refugia nas histórias dos livros que lê, porque não tem amigos. Um dia ao entrar na livraria do Sr. Koreander depara-se com um livro misterioso que o atrai de tal forma, que o obriga a sair dali a fugir com o livro escondido. Já refugiado no sótão da escola, Bastian dá início a uma aventura que poderá não ter regresso. O livro que tem entre mãos chama-se A História Interminável e brevemente irá conhecer, tal como nós que estamos a ler o mesmo livro, Atreiú e Fuchur, o Dragão da Sorte. Os heróis desta história vão empreender uma longa e árdua busca para tentar salvar a imperatriz Criança e a terra da Fantasia. Será que Bastian irá ter coragem para fazer parte da história? Será que conseguirá escapar a Fantasia? 

Michael Ende colocou neste livro todos os ingredientes possíveis e imaginários. Há paisagens completamente impossíveis de imaginar, personagens e criaturas fantásticas, feiticeiras e encantamentos, portas mágicas e outros mundos e tudo o mais que a nossa imaginação possa alcançar. 

Numa história aparentemente para crianças, o autor mostra-nos o quão importante é o valor da amizade e o quanto tudo o que aparentemente fazemos sem maldade pode ter consequências na nossa vida, tanto para o bem, como para o mal. Como é importante saber valorizar-nos e gostarmos de nós tal como somos, não nos anulando. Fala-nos de vontades, desejos e escolhas. De caminhos a seguir e do livre arbítrio. Do cair no vazio e no nada, que pode não ter salvação possível. Mas acima de tudo o autor dá-nos esperança. 

«- AURIN é a porta que Bastian procurava. Trouxe-a sempre consigo desde o princípio. Mas nada do que pertence a Fantasia pode passar a soleira dessa porta, pois as serpentes não o consentem. Por isso, Bastian tem de renunciar a tudo o que a imperatriz Criança lhe deu.»

Pinturas populares (últimos 30 dias)