sábado, 2 de junho de 2012

"traição"

traição, Fernando Madeira, Portugal*

Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo... 

Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer 
Porque eu sou do tamanho do que vejo 
E não do tamanho da minha altura... 

Nas cidades a vida é mais pequena 

Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro. 
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave, 
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu, 
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar, 
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. 
O Guardador de Rebanhos, Alberto Caeiro
_________________________
* Trabalho vencedor (categoria adultos) na 2ª edição do Concurso Internacional de Banda Desenhada Avenida Marginal. A exposição oficial será no dia 17 de junho, no Palácio dos Aciprestes, Fundação Marquês de Pombal, em Oeiras.

4 comentários:

Teté disse...

Ah, que boa notícia! :)))

E também gostei do excerto que escolheste para acompanhar! :D

Beijocas!

tonsdeazul disse...

Pois foi mesmo uma ótima notícia, Teté! :)
Depois se puderes aparece no dia 17 para a inauguração da exposição. Eu vou ver se também não falto. ;)
Não sou especial fã do Alberto Caeiro, mas gosto deste seu "guardador de rebanhos". Ehehe
Beijocas!

Carlos Rocha disse...

Eu por cá fiquei deliciado e rendido a esse "guardador de rebanhos". Tanto que inclusive criei uma personagem inspirada nele. Quanto a Phermad, esse já sabemos; muitíssimo bom artista, que se vê crescendo ano para ano. Abraços.

tonsdeazul disse...

Carlos Rocha sabes que não é o meu heterónimo preferido, mas este poema adequa-se na perfeição a esta traição do Phermad! E desta vez tive a oportunidade de ver antes de estar concluída. ;)
Beijinho

Pinturas populares (últimos 30 dias)