sexta-feira, 15 de junho de 2012

“Narrava histórias que viviam no seu poço de sonhos”

Não sabia nada sobre O Fabuloso Teatro do Gigante. O autor também me era desconhecido. No entanto, a sinopse aguçava-me a vontade para o ler e a capa era bastante inspiradora. Por isso foi assim que, em boa hora, arrisquei descobrir esta história com sabor a sonhos. 

David Machado é um jovem autor com uma capacidade de efabulação impressionante. O Fabuloso Teatro do Gigante é uma autêntica viagem ao mundo da imaginação, que me relembrou, por várias vezes, um filme maravilhoso e apaixonante de que tanto gosto, O Grande Peixe (Big Fish de Tim Burton). 

Neste seu primeiro romance, o autor conta-nos a história de uma povoação do norte de Portugal, a aldeia de Lagares. Isolada no meio das serras, esta aldeola do Minho seguia a sua rotina diária sem incidentes de maior até ao dia em que chegam a este lugarejo Thomas e Eunice. Ele um antilhano colossal de olhar profundo, cujo os habitantes apelidam de imediato de Gigante. Ela uma mulher pequena e franzina, com rosto de menina e de cabelos cor de fogo, que estava para dar à luz os gémeos Afonso e Leonor. 

Com a chegada do gigante e da professora primária, a vida em Lagares não mais voltou a ser a mesma… «A princípio a superstição do povo fez nascer uma certa suspeita em torno do gigante, porque havia quem afirmasse que ele não era real, que era um fantasma que tinha atravessado o oceano para vir penar na tristeza infinita das serras. Na verdade, a única coisa que parecia ligá-lo a este mundo era a mulher, cuja presença física se revelava tão intensa que ninguém duvidou que existia em carne e osso.» 

Vejo O Fabuloso Teatro do Gigante como uma história bonita, que nos vai permitindo entrar no inesgotável poço de sonhos de Thomas. E não quero adiantar muito mais, até porque a sinopse já revela o bastante. É um livro que fala do poder da imaginação e o efeito que ela causa na vida de qualquer um de nós. Basta que nos deixemos contagiar.

6 comentários:

Carlos Rocha disse...

Foi precisamente a sinopse deste romance que tanto me fez desejar lê-lo. Isso e as entrevistas que entretanto fui assistindo dele. Não me defraudou as expetativas. Recomendo. E já agora, se me permitem a partilha, aqui fica o link de um pequeno vídeo de uma obra infantil do mesmo autor. Para que não se assustem vejam-no na companhia de uma criança. :) http://www.youtube.com/watch?v=YE4nNwRLl5Q

Isabel disse...

Não conheço o autor e ainda não tinha ouvido este título. Fiquei com vontade de ler e vou procurá-lo.
(Ainda por cima tem uma professora primária...)
Um abraço e boa semana

tonsdeazul disse...

Bem... Carlos diz-me qual foi o livro que eu li e que tu ainda não leste?! Parece também que temos muitos gostos em comum! ;)
Gostei muito deste livro do autor e numa próxima oportunidade quero voltar a ler algo de David Machado.
Já tinha ouvido falar de "O Tubarão na Banheira", mas não conhecia o vídeo. Obrigada pela partilha.


Isabel,
Acredito que vás gostar. :)
Beijinho e uma boa semana para ti também!

Isabel disse...

Afinal conheço o autor( não fixo os nomes) pois tenho esse livro de que falas "O tubarão na banheira", com ilustrações de Paulo Galindro.Não vi esse filme que aí deixou o Carlos Rocha, mas agora vou lá espreitar.
Tenho lido este livro aos alunos e gostam muito. É muito engraçado.
Fiquei ainda com mais vontade de ler o livro que referes.
Um beijinho

Teté disse...

Bom, também nunca ouvi falar do livro e do autor, mas o teu relato bastou para me interessar... Ai, ai, a isto se chama livromania! :)))

Beijocas!

tonsdeazul disse...

Estás a ver Isabel como afinal o autor não te era tão desconhecido?! ;)


Pois eu compreendo-te Teté! Não é fácil resistir à não compra de livros, quando estes nos parecem apetecíveis. :)

Pinturas populares (últimos 30 dias)