quarta-feira, 21 de março de 2012

"Sobre um Poema"

 Árvore de leitura, André Neves, Brasil

«Um poema cresce inseguramente
na confusão da carne,
sobe ainda sem palavras, só ferocidade e gosto,
talvez como sangue
ou sombra de sangue pelos canais do ser.

Fora existe o mundo. Fora, a esplêndida violência
ou os bagos de uva de onde nascem
as raízes minúsculas do sol.
Fora, os corpos genuínos e inalteráveis
do nosso amor,
os rios, a grande paz exterior das coisas,
as folhas dormindo o silêncio,
as sementes à beira do vento,
- a hora teatral da posse.
E o poema cresce tomando tudo em seu regaço.

E já nenhum poder destrói o poema.
Insustentável, único,
invade as órbitas, a face amorfa das paredes,
a miséria dos minutos,
a força sustida das coisas,
a redonda e livre harmonia do mundo.

- Em baixo o instrumento perplexo ignora
a espinha do mistério.
- E o poema faz-se contra o tempo e a carne.»
Herberto Helder
(Dia Mundial da Poesia)

8 comentários:

São disse...

Bom poema de bom poeta para comemorar o Dia da Poesia.

Saudações azuis, que o azul é a minha cor de paixão.

Teté disse...

É verdade, hoje é dia de ler poesia. Muita, em (quase) todos os blogues... :D

Beijocas!

Isabel disse...

Adorei a imagem.
Um abraço

tonsdeazul disse...

Não conheço muito da poesia de Herberto Helder, SÃO! Mas gosto imenso do livro "Os Passos em Volta".
Saudações azuladas! :)


Mas olha que aqui neste cantinho lês muitas vezes poesia, em diferentes alturas do ano, TETÉ! ;)
Beijinhos


Sim é lindíssima, ISABEL.
Um abraço aqui do sul

CarY disse...

Gostei do poema, mas tb adorei a imagem!!! :) bjs

tonsdeazul disse...

CarY já andei a cuscar as tuas fotos, que estão de meter inveja! :) Ainda bem que me enviaste convite, pois não imaginava que as tinhas colocado no teu blogue.
Beijinhos

Paula disse...

Linda imagem, lindo poema :)

teresa dias disse...

Lindo, lindo, lindo!
Obrigada.

Pinturas populares (últimos 30 dias)