terça-feira, 27 de março de 2012

“Uma criatura tão miseravelmente só”

The Storyteller, Ana Bagayan, Arménia

«- Sabes como eu me sinto, Anna? Como um grande vazio, um vazio cheio de uma grande ausência, uma ausência que é um desejo de ser preenchido, de ser satisfeito. Contudo, ao mesmo tempo, sei que nada me preencherá, porque a primeira condição da vida é desejar eternamente, caso contrário a vida pára. A insatisfação é um princípio da vida. A satisfação não satisfaz. Só as pedras não desejam nada. E, quem sabe, talvez as pedras tenham também buracos que nunca descobrimos.» 
No Coração Desta Terra, J. M. Coetzee

13 comentários:

Teté disse...

É, será que as pedras também têm vazios?! :)

Imagem gira, para não variar! :D

Beijocas!

tonsdeazul disse...

Claro que têm, Teté! Mas não todas, só aquelas que são ocas. :p
A rapariga da ilustração, pode bem ser Magda, a personagem solitária do livro de Coetzee. Depois dar-te-ei a conhecer na minha opinião, que pretendo escrever.
Beijocas

Isabel disse...

Também gostei muito da imagem.

Já tenho o livro do Hugo Cabret não resisti a comprá-lo.
É muito mais bonito do que eu estava à espera.
Fiquei deslumbrada. Não esperava um livro tão bonito.
Um beijinho

CarY disse...

Este excerto faz todo o sentido!! Fiquei com mta vontade de ler o livro =)

mixtu disse...

que maravilha de blog
leio o excerto e já posso dizer aos meus amigos pastores que li o livro
jajaja

os vazios...
as ausências...
sobre o vazio dissertava sobre os cântaros de leite vazios... não há pastagens...
sobre a ausência... o lobo levou-me a mariquinhas... uma ovelha serrã que já me acompanhava há 10 anos, mais velha é apenas a rosita...

as pedras da serra não têm buracos... puro granito

abrazo serrano

tonsdeazul disse...

Isabel, eu tenho conseguido resistir, mas não sei até quando. ;)
O livro é realmente muito bonito na sua conceção.
Beijinho


CarY,
O livro é muito intenso e muitas partes da história custam a digerir. Coetzee consegue, no entanto, a proeza de não deixar o leitor abandonar o livro.
Espero brevemente publicar aqui a minha opinião. ;)


Isso assim não vale, meu caro Mixtu!! :p
Faça favor de ler histórias na serra, enquanto deixa os animais a pastar e depois contá-las em casa.
Um abraço sulista e a primavera por estes lados anda cinzenta

Nina Porcelain Lennitta disse...

Se não fosse o vazio... que força nos moveria para a satisfação? E se a satisfação satisfizesse, para onde iríamos a seguir? Conheceríamos nós o nosso caminho se não fosse esta alternância de vazios e satisfações?

Beijinhos, querida Tons de Azul. :)

tonsdeazul disse...

Ora aí estão boas questões, Nina Porcelain Lennitta. São esses os fios condutores da vida, principalmente da infinita insatisfação. Este nosso querer contínuo, de busca e de ir mais além. :)
Beijinhos

Isabel disse...

Tentei encontrar os post sobre os livros da RLF, mas não chego lá. Aparecem-me outras coisas que não têm nada a ver. Acho que é mesmo azelhice minha.

tonsdeazul disse...

Isabel se colocares na pesquisa "Rosa Lobato Faria" aparecem cinco publicações, em que duas delas referem-se às duas opiniões que escrevi.
Penso que deves estar a pesquisar bem, só não te podes esquecer que eu não coloco os títulos dos livros como cabeçalho. ;)
Aqui estão os links:
O Sétimo Véu
http://tonsdeazul.blogspot.pt/2010/08/procura-da-razao-do-seu-inexplicavel.html

O Prenúncio das Águas
http://tonsdeazul.blogspot.pt/2010/08/se-nao-fosse-agua-havia-de-continuar.html

Beijinhos

Paula disse...

Adorei!!

S. G. disse...

muito bom.

roubei.

bjs

tonsdeazul disse...

Considero uma citação excelente!
Podes roubar, S. G.. :)
Beijos

Pinturas populares (últimos 30 dias)