quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Carta ao coronel | 4

"Rios Perdidos, 26 de Novembro de 2007

Meu Coronel,

Espero que estas palavras o encontrem com saúde e com toda a boa disposição que sempre lhe conheci. Eu por cá vou andando, com toda a saúde e alegria de poder estar com a minha Alice, coisa que o meu Coronel bem percebe depois de todas as dificuldades dos tempos passados.
Muitos anos passaram desde aquela noite que mudou para sempre grande parte do que fomos até então. Mas há coisas que nunca mudam, como os Outonos e a forma como eles sempre trataram o meu Coronel. É esse o motivo destas palavras, pois muito me agradaria descobrir que o sabor dos anos pode transformar em açúcar os frascos de amargura que jamais serão conhecidos por terceiros. E uma vez que estes não voltam a ser precisos ao mundo, poderiam transformar-se em algo bom e útil a todos. Ou pelo menos assim o sonho e o espero. E bem sabemos que esperanças e sonhos sempre foram a maior armadura do meu Coronel.
Talvez, na leitura destas palavras, as folhas secas de mais um Outono passado já tenham desaparecido. Que passe por nós um novo Inverno, pois conhecemos a lareira adequada a cada um dos frios.
Por cá fico a aguardar palavras do meu Coronel, antes do nascer de novas folhas.
Um abraço deste que foi, um dia, apenas soldado,

E. G."
___________
Autor: Carteiro

Blogue: Selos Difusos http://selosdifusos.blogspot.com/

10 comentários:

Vane disse...

Desta vez fiquei contente e encantada com a carta tenho a certeza que o Coronel vai adorar..e é de certeza uma carta que vale a pena esperar..
Foi simples mas com sentimento..

Tenho um duvida será que estamos perante "gay love" (um soldado..um coronel..uma montanha??talvez um segredo??e Alice e a esposa são códigos?') fica aqui a minha duvida??:)

boa sorte pra sexta!!!

Rogério ardeste :).. esta carta esta fixe..!!

bijinhos vane

Marisa disse...

Esta carta está muito bem escrita. As suas palavras fluiem e sente-se que o soldado nutre um sentimento de companheirismo e intimista com o seu coronel.
Foi escrita para o futuro que ainda não chegou, mas talvez o soldado também ande perdido no tempo. :)

Olá Vane! Rapariga desaparecida em combate. Só mesmo a tonsdeazul para te fazer aparecer por estes lados. :) Olha tenho de discordar dessa tua perpectiva de "gay love"! Não me parece que o monólogo intimista que surge na carta seja virado para esse lado. Até porque nota-se que apesar de existir um sentimento de compreensão entre ambos (pelas vivências partilhadas), existe também um distanciamento de respeito e obediência ao seu coronel.
Beijos para ti e para a tonsdeazul. Amanhã cá estarei novamente para votar na minha preferida, que não vou dizer qual é. :)

Marisa disse...

Ah! E parabéns aos quatro participantes, pois não é nada fácil. Afinal estão sempre sujeitos às nossas críticas. :)

mixtu disse...

de um soldado... que cumpria ordens... quer no outono ou em outra estação
coronel, faça o favor de responder e pedir desculpa, :)

abrazo europeo

Rogeriomad disse...

Eu considero esta carta... uma divagação sobre algo que o próprio autor não sabia do que estava a escrever... capiche?

E mais...
Proponho que leiam a referida carta em "português do nordeste brasileiro"...

Por último, gostava de salientar a interpretação da Vane:
"Tenho uma duvida será que estamos perante "gay love" (um soldado..um coronel..uma montanha??talvez um segredo??e Alice e a esposa são códigos?') fica aqui a minha duvida??:)"

Raciocínio da Vane:

Gay love = 1 Soldado + 1 Coronel + 1 Montanha

1 Soldado= 1 militar sem graduação

1 Coronel= 1 oficial superior do exército ou da Força Aérea a quem é atribuído o comando de um regimento (em terra), ou um grupo, ou uma brigada (em voo) e cuja insígnia do posto que ocupa é constituída por um galão largo e três estreitos, dourados, usados nas mangas ou nas platinas, conforme o tipo de uniforme que envergar

1 Montanha= 1 elevação considerável do solo acima do nível das águas do mar

Gay love= 1 militar sem graduação... dá beijinhos a... 1 oficial superior do exército ou da Força Aérea a quem é atribuído o comando de um regimento (em terra), ou um grupo, ou uma brigada (em voo) e cuja insígnia do posto que ocupa é constituída por um galão largo e três estreitos, dourados, usados nas mangas ou nas platinas, conforme o tipo de uniforme que envergar... numa elevação considerável do solo acima do nível das águas do mar

Vane foi isso que pensaste?

Continuando...

Código = Alice + Esposa
Se está em código não consigo desvendar...


Resultado:
Gay love + Código = Trapalhada de raciocínio da Vane.

Bibliografia: Dicionário Priberam.

Teté disse...

Hummm... e a votação é para amanhã?

tonsdeazul disse...

Teté: A votação começa hoje. :)
Beijos, beijos

Vane disse...

oh!Marisa era só uma dúvida..e uma suspeita nada em concreto..mas aceito a tua opinião e agora seguindo a explicação do Rogério e desde já agradeço, devo admitir que foi mais ou menos isso mas temos que acrescentar algo..e foram estas palavras que me deixaram curiosa e com dúvidas: .."Muitos anos passaram desde aquela noite que mudou para sempre grande parte do que fomos até então.."

E agora??Como fica relacionado??

No que diz respeito ao código..se o soldado queria que fosse desvendado não tinha escrito em código capiche??

E agora uma opinião antes esta carta que aquela que pede sexo!!há pessoas que acham os gay fofinhos..e todos gostamos do mistério..Agora se estava a procura de sexo bastava por um anuncio num jornal:)..

carteiro disse...

Bem, foi muito bom ler estes comentários ao longo dos dias.

Devo dizer que concordo com o rogeriomad quando diz que a carta é uma divagação. É mesmo. Mas eu gosto e sempre achei que uma divagação bem pode ser uma carta. Mesmo sabendo que levava esse tom de divagação, não quis mudar nada, uma vez que isso permitiria uma pluralidade maior de opiniões, que foi o que aconteceu. Se sabia ou não do que estava a escrever, sabia, mas não de um modo demasiado objectivo, pois à medida que escrevia ainda estava à procura de razões sobre o que estava o escrever..

Daqui posso começar a comentar as opiniões da vane e da marisa que, por razões óbvias, adorei ler :)
Confesso que me senti surpreendido ao ler a dúvida do "gay love"... pois, não sendo essa a ideia que tinha em mente, tive um vislumbre, enquanto escrevia, de que poderia suscitar essa opinião. E assim foi. Não pensei em códigos, segredo ou qualquer montanha :) A marisa disse o que eu tinha em mente: "o soldado nutre um sentimento de companheirismo e intimista com o seu coronel." e "apesar de existir um sentimento de compreensão entre ambos (pelas vivências partilhadas), existe também um distanciamento de respeito e obediência ao seu coronel". Acima de tudo, era isto que queria expressar, mesmo divagando. Mas como já disse, este tom de divagação não deixa isso muito explícito. Logo, a suspeita da vane tem todo o fundamento e faz-me todo o sentido :)

E penso que por agora já chega de palavras, pois uma divagação não carece de grandes esclarecimentos :)

O meu mais sincero Obrigado pelos vossos comentários a esta carta!

Rogeriomad disse...

Carteiro... a tua escrita deu para perceber tudo isso que explicas.

Vane... Não queiras fazer uma tese de mestrado do conteúdo de uma carta... e citando o próprio autor:
"à medida que escrevia ainda estava à procura de razões sobre o que estava o escrever..."

Se ele próprio se questiona... porque quererás tu aprofundar algo que não tem ponta para esticar?

Se queres dar "asas à imaginação"... escreve um monólogo com o título "Gay Love"... pois eu não acompanharei as tuas taradices...
Até propunha, depois de escrito, uma publicação aqui no tonsdeazul.blogspot.com

eheh Beijinhos.

Sustentem o Sustentável,

www.georden.blogspot.com

Pinturas populares (últimos 30 dias)