quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Músicas de Natal

Pelo City, A. Magaldi, Espanha

«E o nevoeiro sempre a aumentar, e o frio a tornar-se cada vez mais vivo, cada vez mais áspero e penetrante. Se o bom São Dunstan, patrono dos ferreiros, tivesse apertado o nariz do diabo com um frio tão mordente, em vez de servir-se do seu elemento familiar, o diabo gritaria com certeza a sério. O proprietário de um jovem nariz pontiagudo deteve-se a tremer em frente da porta de Scrooge para o regalar com uma balada de Natal mas, logo ao primeiro verso da introdução:

Deus o abençoe, alegre cavalheiro!

Scrooge pegou na régua que estava em cima da carteira com um gesto tão enérgico que o cantor semicongelado deitou a fugir aterrorizado, abandonando o buraco da fechadura ao nevoeiro e ao frio.»
«Canção de Natal», in Contos de Natal, de Charles Dickens

2 comentários:

Manuel Cardoso disse...

... a magia do Natal tem um nome: Dickens; Charles Dickens!

tonsdeazul disse...

Completamente de acordo contigo, Manuel. :)
Por isso é que dedico este mês a Dickens e à sua Canção de Natal. Próxima quarta-feira conta com mais um pequeno excerto. ;)

Pinturas populares (últimos 30 dias)