quarta-feira, 21 de março de 2018

«Lua adversa»

Parque Nacional da Peneda-Gerês, Portugal

"Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua…
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua…)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua…
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu…"
in Vaga Música, Cecília Meireles

3 comentários:

teresa dias disse...

Bem-vinda amiga da blogosfera!
Escolheste um dia perfeito para voltares - o Dia Mundial da Poesia - e um poema belíssimo de Cecília Meireles.
Que tudo continue bem com a mamã e o filhote.
Não voltes a "fugir", fazes falta por aqui.
Beijo.

MJ FALCÃO disse...

Tão bonito este poema! gostei de aqui vir! Um beijinho em azul

tonsdeazul disse...

Minha querida Teresa como eu gostava de conseguir voltar, mas não está fácil. O tempo esgota-se com ele e não consigo geri-lo para conseguir aqui voltar com mais frequência. Contudo, não quero de todo terminar com este meu cantinho que quem sabe logo, logo conseguirei ser mais assídua.
Beijos

Olá MJ Falcão,
Obrigada e até breve.

Pinturas populares (últimos 30 dias)