domingo, 15 de abril de 2012

“A luta dela era a sua luta”

Não gosto de ler livros após ter tido a oportunidade de conhecer a história no grande écran. O Fiel Jardineiro de John Le Carré foi a primeira exceção. 

A história de O Fiel Jardineiro passa-se maioritariamente em África. Nairobi é a cidade do Quénia para onde o diplomata britânico Justin Quayle foi destacado. Este é casado com Tessa, uma jovem ativista de organizações humanitárias. E tudo começa com a chegada de uma notícia trágica à Alta Comissão Britânica em Nairobi. Tessa Quayle tinha sido brutalmente assassinada juntamente com o médico que sempre a acompanhava nas campanhas, Dr. Arnold Bluhm. 

O caso começa a ser investigado e no decorrer das averiguações os factos apontam para a existência de um romance entre o Dr. Bluhm e Tessa. Era bem verdade, que Justin sempre esteve alheado das ações de Tessa, pois as suas preocupações eram outras. As flores. Só que a morte de Tessa parece estar envolvida em grandes mistérios, por isso Justin Quayle decide iniciar uma investigação por si próprio. 

Quando Justin começa a percorrer todo o caminho trilhado pela sua mulher, descobre o quão enorme é a conspiração internacional de corrupção, pela qual Tessa lutava ferverosamente, mesmo pondo em risco a sua vida. A luta dela passa então a ser a sua luta! A morte de Wanza, uma queniana com quem Tessa partilhou quarto no hospital, e o suposto remédio milagroso contra a turbeculose, Dypraxa, são os fios condutores que levam Justin até à rede dos gigantes envolvidos: governos e multinacionais farmacêuticas. 

«Quando se pensa nisso, tudo se torna evidente. Antes não se podia prever. O que faz um gigante quando quer uma chave? Diz aos anõezinhos que descubram a marca do cofre, depois telefona ao gigante que fabricou a chave e pede-lhe para dizer aos seus anõezinhos que façam outra chave. No mundo dos gigantes, é perfeitamente normal.» 

Já fazia algum tempo que não lia uma história de intriga e espionagem tão envolvente! Muito embora eu tivesse gostado imenso do filme e soubesse à partida que o livro não iria dececionar. 

John Le Carré já viu muitas suas obras chegarem à sétima arte e O Fiel Jardineiro foi mais uma delas. Este excelente thriller foi adaptado para cinema pelas mãos de Fernando Meirelles, sendo que Ralph Fiennes (Justin Quayle) e Rachel Weisz (Tessa) interpretaram os principais papeis.

 

8 comentários:

Manuel Cardoso disse...

Eu gostei muito do filme e não li o livro pela mesma razão que tu ainda não o tinhas lido: depois de ver o filme a motivação diminui.
Mas os livros de Le Carré são mesmo assim; intrigantes e viciantes.
há tempo li O Espião Perfeito e fiquei entusiasmado. Tenho de voltar a Le Carré em breve.

Miguel Pestana disse...

Nunca li nenhum livro do autor, mas já ouvi muitas notas positivas acerca dele.

O filme também não, mas se é realizado pelo Fernando Meirelles deve ser muito bom. O Filme O Ensaio sobre a Cegueira mostra bem o seu trabalho como realizador.

Ver filmes antes de ler os livros não faz o meu tipo tambem.

Teté disse...

Vou ler o livro, que há muito está na estante: já saltou até uns bons lugares para a frente da fila dos livros a ler em breve! O filme não vi, mas já agora vou ler o livro primeiro... :))

Beijocas e gracias por mais esta dica! :)

Landa disse...

Gravei este filme da televisão e para o meu azar não gravou o final. É o problema das programações mal feitas. Basta o filme começar um pouco depois para a gravação ficar incompleta. Mas, por outro lado torna-se um bom pretexto para ler o livro. Nunca li nada de Le Carré mas agora fiquei curiosa!

tonsdeazul disse...

Pois é MANUEL CARDOSO quando se tem a história toda na cabeça fica complicado pegar no livro para o ler.
Gostei imenso da escrita de Le Carré. Penso que nunca tinha lido nenhuma obra do autor. Ou pelo menos não me lembro... Não tenho lido boas opiniões sobre o último que foi adaptado, "A Toupeira", mas queria voltar ao autor.
Boas leituras


Como refere e bem o Manuel Cardoso, Le Carré é um autor viciante, MIGUEL PESTANA. Quando começas já só queres parar no fim.
Quanto ao filme é altamente recomendado. E não é só pelo realizador, mas também pelos atores e pela história em si. Mas já agora lê o livro antes. ;)


Este é bem o teu estilo, TETÉ! Vais gostar tanto da história, como do filme. Ralph Fiennes é um dos meus atores de eleição e tem aqui uma excelente interpretação, juntamente com a Rachel Weisz.
Beijinhos


Já me aconteceram várias vezes situações dessas, LANDA. No tempo em que ligava à TV. Agora são raras as vezes que me dedico a ela. É quase objeto de decoração. :p A verdade é que cansei da programação...
Sim sem dúvida que tens aí um belo pretexto para ler e ver o filme por completo. :)

teresa dias disse...

Vi o filme - fabuloso a todos os níveis - mas não li o livro. Aliás, ainda não li Le Carré.

N. Martins disse...

Li o livro e depois acabei por ver o filme quando passou na televisão. Gosto de Le Carré mas este não é o que mais gosto dele. Gostei imenso do "Espião que Veio do Frio" e "Amigos Até ao Fim".

Boas leituras!

tonsdeazul disse...

Eu também achei o filme fabuloso, TERESA DIAS. Quanto a Le Carré esta foi a minha primeira incursão na sua obra e devo dizer que gostei.


Obrigada pelas dicas, N. MARTINS. Se pensar em adquirir mais algum do autor vou ter em atenção esses dois títulos. O primeiro que referes inspira-me. ;)
Boas leituras!

Pinturas populares (últimos 30 dias)