segunda-feira, 12 de julho de 2010

O contador de histórias


Não sou um bom contador de histórias, porque enquanto acordado, as palavras não são escritas como as que passam frente aos meus olhos. Sempre gostei das palavras, é certo. Só que as palavras não me obedecem! Não se deixam usar a meu bel-prazer e fazem troça das minhas enormes mãos que insistem em escrevê-las.
Quando a noite chega torturam-me. Adoram a noite e em noites de luar chegam mesmo a enlouquecer-me! Deixam-me sem vontade própria e apoderam-se de todos os meus dedos da minha mão direita. Nesses meus momentos lúridos, vejo outras palavras que se enterram em mim e deixo de ser quem sou. Já não sou eu quem as escreve, mas sim a minha mão, em obediência a elas. Expele palavras esquizofrénicas e exprime os meus sonhos não sonhados.
Enquanto contador de histórias noctívago e entorpecido escrevo imensas palavras, vezes sem conta em pedaços de papel, que deixo esquecidos pelos recantos desta casa, que já nada me diz… Das vezes que as escrevo nada de significativo encerro nelas.
Cedo, no meu despertar, nada reconheço como sendo as minhas palavras!
Nos meus longos dias levo uma vida solitária de mau contador de histórias, porque tento aprisionar as palavras sombrias que me perseguem. Só que elas, as palavras, martelam nos meus pensamentos dia após dia. E mesmo exaustos, os meus pensamentos não se deixam adormecer, porque elas, as palavras, arrastam-mos para o abismo. Por vezes tento sufocá-las, mas elas agitam-se e em louco atropelo insistem em sair. E quando a noite chega, já cansado, acabo por as deixar escapar. Deixo-as partir para outras folhas vazias.
Cedo, no meu despertar, procuro encontrar em cada palavra escrita o meu eu de contador de histórias, enquanto acordado.

10 comentários:

Teté disse...

Texto muito giro! É teu?

E, mais uma vez, PARABÈNS!!! Que venham ainda muitos anos pela frente, cheios de alegria e felicidade!|

Beijoca grande!

tonsdeazul disse...

E eu mais uma vez agradeço, Teté! Ehehe
E respondendo à tua pergunta... sim o texto é meu. ;)
Beijinhos!

N. Martins disse...

Ia perguntar o mesmo que a Teté, mas já respondeste. :)
Resta-me elogiar, porque escreves muito! :)

tonsdeazul disse...

Obrigada, N. Martins. :)
Nem sempre sei muito bem aquilo que pretendo escrever... Foi até assim que nasceu este "Contador de Histórias"!
Todos os pequenos textos ou escritas poéticas que estão nas tintas "Estórias" e "Rascunhos" são flashes de pequenos momentos felizes ou tristes, mas que de alguma forma precisam de ser escritos...
Beijinho

Teresa Hoffbauer disse...

Venho um dia atrasada para dar os parabéns pela passagem do teu aniversário, assim como por este momento poético. Quando o comecei a ler a história, pensei que era da autoria de Alves Redol.

tonsdeazul disse...

Obrigada Teresa!
Não conheço a escrita do autor, mas se pensavas que o estavas a ler, então tenho de ler algo dele, para ver se me encontro por lá! ;)

cris disse...

Adorei! Muito bem escrito...

vanda disse...

Allo :) Tal como ficou prometido cá estou :P demorei mas não me esqueci.
Adorei o texto, está muito bem escrito :) Parabéns e vês o q te digo tantas vezes??? C-O-N-F-I-A-Ç-A!
GOSTI!bjokas.
Vanda

Vanda disse...

LOL
grande gafe... bem me disseram q a gravidez nos rouba neurónios...confiaNça :P nem a soletrar me safo LOL

tonsdeazul disse...

Obrigada, Cris! ;)


Olá minha linda do meu coração!
Obrigada pelas palavras e claro eu também gosti! ;)
Ehehe Deixa lá, também dizem que é um estado de graça, por isso aproveita todos estes pequenos momentos! :)
Beijinhos daqueles GRANDES!

Pinturas populares (últimos 30 dias)