terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

28

Lisboa, Portugal 

Sempre que saía de casa pela manhã os seus passos ligeiros encontravam-se com o 28, que em modo turístico percorria as ruas da cidade.
Havia certos dias ao fim da tarde que gostava de apanhar o 28 na Graça, para entrar num tempo passado. Debruçava-se sobre a janela e de olhar nostálgico tentava desvendar os mistérios da cidade que tanto lhe inspirava. Eram as praças, as ruelas estreitas e íngremes, as colinas e os miradouros, as casas de fado, as residências apalaçadas e as casas burguesas. Era um subir e descer. Era um sem fim de cheiros e sabores, de luz e cor... 
O 28 no seu percurso sem pressa seguia agora em direção ao Miradouro de Santa Luzia. Já o seu destino era a Praça Luís de Camões. Mas tinha tempo. Não iria apressar o fim da sua viagem.

3 comentários:

Marcador disse...

Que linda viagem!

Teté disse...

Acreditas que ando há que tempos para dar um passeio de 28 e ainda não calhou? Não pode ser num dia de muito sol e quente, também perde a piada se for nublado e chuvoso. Mas a ideia continua de pé, para tirar umas belas fotos e apreciar ainda mais a fantástica paisagem... :)

Ah e um dia destes também tirei uma foto à traseira do 28 que ia seguida de uma moto da telepizza e nós no carro atrás. Escusado será dizer que não era eu que ia ao volante! :)))

Beijocas e bom fim de semana!

tonsdeazul disse...

Ainda não cheguei a dar o passeio completo, Teté! Mas numa próxima quero fazê-lo. :)

Estes amarelinhos são sempre um bom motivo para puxar da máquina. ;)

Beijinhos

P.S. Já fui ver "A rapariga que roubava livros". Não fugiu à história original do livro, e também não me entusiasmou tanto como esperava...

Pinturas populares (últimos 30 dias)