quinta-feira, 30 de agosto de 2012

"ele deixou de tocar"

Slow Tunes, Kelly Vivanco, EUA

«Duarte, porque é que deixaste de tocar piano?» 
Duarte não esboçou a menor reação, a mínima surpresa, e a pergunta ficou a ecoar ao longo da Rosa Araújo, da Rodrigo da Fonseca, da Nova de São Mamede. E já se avistavam as primeiras árvores do Príncipe Real quando Duarte se livrou das mãos da mãe e respondeu: «Ódio.» 
A mãe olhou-o surpreendida: »Ódio à música?» 
Duarte disse: «Ódio ao meu talento. Ódio àquilo a que as pessoas costumavam chamar dom. O meu dom.» 
O Teu Rosto Será o Último, João Ricardo Pedro

10 comentários:

Teté disse...

Por acaso essa é uma das partes mais difíceis de compreender do livro... :)

Beijocas!

Miguel Pestana disse...

Espero pela tua opinião sobre o livro.

Já li variadíssimas opiniões, e nenhuma faz qualquer objecção ao livro.

Bomm fim-de-semana!!

tonsdeazul disse...

Concordo contigo, Teté! Tive de voltar atrás nesta parte, pois quando dei por mim estava perdida na história. ;)


Miguel Pestana é um livro muito bem escrito e tem uma história que merece ser lida.
Li-o antes de entrar de férias e tinha toda a intenção de escrever uma opinião, mas depois meteram-se as férias e deixei passar... Não sei se a escreverei. Mas as opiniões que tens lido estão certas. ;)

Rosa dos Ventos disse...

Foi um dos últimos que li e gostei!
Pensava escrever sobre ele...e talvez ainda escreva! :-))

Abraço

S. G. disse...

não vou ser eu a destoar da opinião geral sobre o livro, mas a minha não é tão positiva como a tua.

está paga a minha parte dos royalties. e escrever ainda é melhor que roubar :)

(mas é sempre mais fácil criticar do que fazer)

tonsdeazul disse...

Rosa dos Ventos, olá
Então que venha daí essa opinião ao livro! ;)
Abraço


Olá S. G.,
Até te consigo compreender... Gostos são gostos e opiniões são opiniões e valem o que valem... ;)
Quanto a mim, a opinião geral do livro é boa. Gostei bastante da história e da forma que o autor encontrou para a contar.
Tinha uma expetativa positiva sobre o livro, pois foi muito badalado, e no final confirmei que as opiniões ao livro estavam certas (talvez algumas exageradas), apesar de ter havido uma outra coisa, que quanto a mim ficou por explicar/contar.
E claro que não é, nem será o livro da minha vida. ;)
E sim, considero que merece ser lido. :)
Um abraço

S. G. disse...

:)

para uma estreia não está nada mal. parece-me que falta sempre um fio condutor, uma estrutura previamente definida, o que faz com que o ritmo inicial da narrativa se altere (faz-me sempre pensar que é naquela fase em que o escritor fica sem saber o que fazer da história).

é a partir daí que entram episódios que encaixam mal (é o encher chouriço), os duartes (pais-filhos-netos?) atropelam-se e entram o drama e o final um bocado atabalhoadamente.

digamos que as coisas que ficaram "por explicar" são para mim falhas na forma como se encripta a narrativa (que é válido, desde que haja alguma luz para não nos perdermos).

para concluir, se não fosse razoável não o tinha emprestado :)

tonsdeazul disse...

E com esta história toda, afinal ambos concordamos numa coisa: o livro merece ser lido! :) Senão não o terias emprestado. Ou será que emprestaste a algum teu inimigo? ;)
Vá, conta lá o que andas a ler agora. Eu ando com Saramago nas mãos, "Ensaio sobre a lucidez".

S. G. disse...

:)

emprestei, mas ainda não me devolveram (suponho que deve estar difícil de acabar :) espero que a demora seja resultado da falta de prática....

estou a acabar o murakami, kafka à beira-mar. é outro autor que me causa sensações contradtórias (mas já é o terceiro livro e ainda tenho outro para ler daqui a uns tempos...é o que dá comprar em promoções de 50% :)

agora volto aos americanos (bellow, carver...) e depois vou ler(tentar?) guerra e paz, tradução do saramago.

(esse ensaio não é dos melhores, mas mesmo assim é saramago - tenho dois em lista de espera, levantado do chão, e viagem a portugal)

tonsdeazul disse...

Ui! Tens muitos livros em mãos!
Murakami só li um, mas tenho uma vontade enorme de voltar a ler e a descobrir mais do autor. E por acaso até gostava de ler esse que referes.

Pois as promoções são a desgraça de qualquer um de nós, perdidos por livros. ;)

De Bellow, li apenas "Herzog". De Carver não li nada. E também quero um dia agarra-me ao "Guerra e Paz", mas cada vez que olho para os calhamaços...

"Levantado do Chão" ainda não li. Quanto à "Viagem a Portugal" é bastante interessante, principalmente quando Saramago descreve os lugares que já visitámos. ;)
Boas leituras!

Pinturas populares (últimos 30 dias)