sexta-feira, 9 de abril de 2010

Haverá ainda natureza nas cidades?

Marcovaldo, de Italo Calvino
Italo Calvino já me habituou ao seu estilo de escrever estórias deliciosas. Marcovaldo é mais um livro muito bem escrito dos tantos que já li do autor e que me deixam sempre a querer mais!

Marcovaldo é o personagem desta história. Um homem que procura a natureza no meio da cidade em que vive.

«Este Marcovaldo tinha um olho pouquíssimo afeito à vida da cidade: anúncios, semáforos, montras, letreiros luminosos, cartazes, por mais estudados que fossem para chamar a atenção, nunca detinham o seu olhar que parecia correr pelas areias do deserto. Em contrapartida, folha a amarelecer num ramo ou pena pousada numa telha nunca lhe escapavam: não havia moscardo no dorso de um cavalo, buraco de caruncho numa tábua nem casca de figo esborrachada no passeio em que Marcovaldo não reparasse e não fizesse deles objecto de profundos pensamentos, descobrindo a mutação das estações do ano, os desejos da sua alma e a miséria da sua existência.»

Ao longo de vinte capítulos, Calvino vai percorrendo as quatro estações na cidade e descrevendo as peripécias vividas por Marcovaldo. Este personagem não é pessoa de muita sorte, pois ora apanha peixes no rio, mas vê-se forçado a deitá-los fora, porque o rio está contaminado, ora caça um coelho, mas este pertence a um laboratório e por isso é portador de uma doença contagiosa. E assim de desventura em desventura, Marcovaldo sai sempre perdendo nos seus malabarismos em busca de uma natureza perdida.

Um verdadeiro retrato das peripécias também por nós vividas nesta selva de betão que nos engole. Uma autêntica vida cada vez mais artificial, economicista e consumista. Uma obra digamos hilariante, a tocar a comicidade poética.

7 comentários:

Jojo disse...

Italo Calvino é um escritor que me despertou atenção na minha ida à livraria esta semana. Tinha parte de uma estante dedicada às suas obras. Li algumas sinopse e acho que adquirir algum brevemente.

Bjinhos
*

Iceman disse...

Curioso que nunca li nada de Calvino, pese embora seja daqueles escritores que há muito está na minha lista.

tonsdeazul disse...

Jojo e Iceman, olá

Penso então que é uma boa altura para descobrirem a escrita deste autor!

Já falei dele aqui no tonsdeazul, foi quando descobri Calvino: http://tonsdeazul.blogspot.com/2007/09/em-busca-de-uma-histria.html.

"As cidades invisíveis" e a trilogia "Os Nossos Antepassados" são também boas escolhas.

Boas leituras!

Manuel Cardoso disse...

tonsdeazul, se gostas de Calvino vais adorar "Se Numa Noite de Inverno Um Viajante". É divertidissimo. Conheces?

tonsdeazul disse...

Manuel, olá
Foi o primeiro que li e foi esse mesmo livro que me levou a não mais largar o autor! :)) Falei desse mesmo livro há uns tempos aqui no tonsdeazul.

Manuel Cardoso disse...

Tens razão, já tinha esquecido :)
Belissimo, sem dúvida. Tenho de voltar a Calvino. Urgentemente.

tonsdeazul disse...

:) Para entrar em mundos imaginários, não há melhor, Manuel! Fico a aguardar depois as tuas anotações.
Agora estou na descoberta do escritor Robert Walser, com «Os Irmãos Tanner».
Boas leituras!

Pinturas populares (últimos 30 dias)