sexta-feira, 13 de junho de 2008

"homens-meninos"

Capitães da Areia, de Jorge AmadoJorge Amado. Foi com este escritor que tive o meu primeiro contacto com a literatura brasileira. E é sobre o livro Capitães da Areia que vou escrever.
Como a história foi adaptada para série televisiva, muitos de vós já a devem conhecer… Contudo, faz onze anos que a li e após este tempo senti uma certa nostalgia em recordá-la.
Não reli o romance mas, nas caves da minha memória sei que este livro marcou-me. Marcou-me pelas histórias dos personagens, que viviam "num velho trapiche abandonado". Os Capitães da Areia. Pedro Bala era o chefe. Dora era a noiva. João Grande, Sem-Pernas, Querido-de-Deus, Zé Moleque, Boa-Vida e outros tantos eram os companheiros. Nas ruas da Bahia eram "homens-meninos" que, à margem da sociedade, tentavam apenas sobreviver.

Em 266 páginas, o autor conseguiu "pinta[r] com rudeza e ternura" as vidas destes Capitães da Areia e tocar no sentir do leitor.

8 comentários:

Dalaila disse...

a mim embrulha-me a escrita dele, era miuda e já o lia, é de uma beleza!

Plum disse...

Muito bom!***

su disse...

É de facto notável a forma como este livro marca cada um de nós e deixa saudades vivas através do tempo!

:))

Ana Fonseca disse...

E, se não tou em erro, havia um menino a quem chamavam o Professor, não era? Ele só roubava livros e não os vendia... Ficava com eles para ler. Adorei esse livro... Fartei-me de chorar ao lê-lo. Devorei a segunda e terceira partes, na minha varanda e chorei... chorei bastante...

tonsdeazul disse...

Ana Fonseca, olá
Sim havia também o Professor. Não estás enganada. :)
Considero esta história muito poética.

Teté disse...

Li alguns livros do Jorge Amado, mas este não. Pela tua descrição fez-me lembrar um pouco os "Esteiros" de Soeiro Pereira Gomes... Livro do qual gostei bastante!

Lá fica mais um em fila de espera para ler. Mas vou lê-lo, que gostei da tua descrição!

Beijocas!

lupussignatus disse...

amado

e

imortal

Jorge

Kátia disse...

Li todos!--óbviamente--e é um livro marcante.O Jorge imortalizou a Velha Bahia em seus livros,contando as cenas típicas de alguns dos seus moradores,ora oriundos de sua tão fremente imaginação,ora oriundos de personagens reais.
Salve Jorge!E Viva a Bahia!
:))))))))
Beijo linda!

Pinturas populares (últimos 30 dias)