sábado, 14 de fevereiro de 2015

«A Demora»

Silves, Portugal

«O amor nos condena: 
demoras 
mesmo quando chegas antes. 
Porque não é no tempo que eu te espero. 

Espero-te antes de haver vida 
e és tu quem faz nascer os dias. 

Quando chegas 
já não sou senão saudade 
e as flores 
tombam-me dos braços 
para dar cor ao chão em que te ergues. 

Perdido o lugar 
em que te aguardo, 
só me resta água no lábio 
para aplacar a tua sede. [...]»
in idades cidades divindades, Mia Couto

3 comentários:

teresa dias disse...

Lindo, lindo. O poema e a fotografia.
De Mia Couto acabei de ler "Vagas e lumes". Gostei!
Bjs.

Teté disse...

O poema é bonito,mas a fotografia é fantástica! :)

Beijocas

tonsdeazul disse...

Obrigada, meninas! :)
Beijinhos

Pinturas populares (últimos 30 dias)