sexta-feira, 16 de novembro de 2012

“La tierra es una”

Fundação José Saramago, Lisboa

«Donde é que este gajo saiu, não saiu de parte nenhuma, não se sabe de onde é que este gajo saiu, depois escreve um livro que se chama Levantado do Chão, escreve outro melhor ainda que se chama Memorial do Convento, outro melhor ainda que os outros dois que é O Ano da Morte de Ricardo Reis, e continua a escrever até hoje. Donde é que saiu este filho da puta?» José 

«A veces se crean raíces, pero donde yo esté llevaré siempre unas tijeras para cortar las raíces. Las raíces… cada uno vive en el sitio donde está en ese momento, y las raíces de ese día es el cada día, no estar apegado a los lugares. El mundo es muy grande para apegarse sola y exclusivamente a un lugar.» Pilar
José e Pilar - Conversas Inéditas, Miguel Gonçalves Mendes
__________________
Publicação anterior: «Creo que se vive de amor»

3 comentários:

Teté disse...

E parece que Saramago faria hoje 90 anos, se fosse vivo! Não é, mas ficaram as suas palavras, que ainda tantos idolatram e recordam... :)

Beijocas!

Teté disse...

ps - espero que esteja tudo bem contigo!

tonsdeazul disse...

É verdade, Teté!

Tem chovido muito hoje, mas está tudo bem por aqui. Os ventos fortes não atingiram esta zona do Algarve. Obrigada pela preocupação. :)

Beijinhos

Pinturas populares (últimos 30 dias)