sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

«Para Além da Curva da Estrada»

Parque Nacional de Killarney, Irlanda

«Para além da curva da estrada 
Talvez haja um poço, e talvez um castelo, 
E talvez apenas a continuação da estrada. 
Não sei nem pergunto. 
Enquanto vou na estrada antes da curva 
Só olho para a estrada antes da curva, 
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva. 
De nada me serviria estar olhando para outro lado 
E para aquilo que não vejo. 
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos. 
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer. 
Se há alguém para além da curva da estrada, 
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada. 
Essa é que é a estrada para eles. 
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos. 
Por ora só sabemos que lá não estamos. 
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva 
Há a estrada sem curva nenhuma.» 
in Poemas Inconjuntos, Alberto Caeiro

2 comentários:

mixtu disse...

... ha caminho...

tonsdeazul disse...

Sempre haverá! Há que segui-lo. ;)

Pinturas populares (últimos 30 dias)