segunda-feira, 13 de abril de 2015

«O Gato e o Rato», de Günter Grass

Black Cat and Mouse, Linda Apple, E.U.A.

«Logo na primeira visita reparei no bufo-branco empalhado. Eu não morava muito longe dali, na Westerzeile; porém, não é de mim que é para falar, mas sim de Mahlke ou de Mahlke e de mim, mas sempre com a ênfase em Mahlke, pois era ele que tinha o risco ao meio, era ele que usava botas, era ele que ora tinha isto ora tinha aquilo pendurado ao pescoço, para distrair o eterno gato daquele eterno rato, era ele que se ajoelhava diante do altar de Maria, era ele o mergulhador com a queimadura solar recente, estava em relação a nós, ainda que desajeitadamente e sem graça, sempre um pouco mais adiante e , ainda mal tendo acabado de aprender a nadar, pretendia mais tarde, depois da escola e por aí em diante, ser palhaço num circo e fazer as pessoas rir.»
O Gato e o Rato, Günter Grass (1927-2015)

«Grass é um dos escritores mais inteligentes, mais contundentes que me foi dado a ler na escrita contemporânea.Um homem rigoroso, preciso e polémico, que nunca se esquece que escrever é liberdade.»
Maria Teresa Horta 

4 comentários:

Isabel disse...

Tenho vários livros dele...que ainda não li...

tonsdeazul disse...

Do autor só li "A Caixa", que gostei bastante.
Este tenho em cima da mesa de cabeceira, juntamente com um outro de Garcia Marquez.
Beijinho

Teté disse...

Nunca li nada dele. Grande lacuna, creio! ;)

tonsdeazul disse...

Não creio que seja uma lacuna, Teté! Não se consegue ler todos os autores de que gostaríamos de conhecer. E eles são tantos...!
Só Li Rosa Lobato Faria, após a sua morte e adorei. Claro que me questionei porque não a li mais cedo?
Além disso podes sempre descobri-lo agora. É isso que é bom, a sua obra será sempre eterna. :)
Beijinhos

Pinturas populares (últimos 30 dias)